quinta-feira, 3 de maio de 2012

peitões, peitos, peitinhos. duros, molinhos, muchibas.

o que a vadia feminista que vos fala gostaria de dizer sobre eles


peitos, vaginas, cus, suvacos, estrias, celulites, cabelos, pêlos, pentelhos, unhas encravadas: são tão diferentes quanto são as mulheres. nós não somos capas de revista - nem mesmo as mulheres que estão nas capas de revista o são (photoshop tá aí pra isso).

o corpo feminino (tô falando desse que tem vagina, peitinhos protuberantes, e aquela parafernalha toda de abrigar neném, e que, na minha humilde opinião, se diferencia do masculino só por isso mesmo) é um tabu que não foi superado pela exposição excessiva de seios, vaginas, cus - não sei porquê, mas não parece haver um interesse muito grande nas outras partes que citei anteriormente; vá entender - e por um motivo muito simples: esses seios, vaginas e cus e pernas e bundas e barrigas sempre tão expostos não representam a tal da diversidade que compõe as mulheres. e essa padronização de seios, cus, vaginas e blá blá blá, não só não nos representa, como nos é absorvida em forma de auto-depreciação.existem as características ideais, as interessantes, as aceitáveis (... infinitas variações nesse ínterim...) e as absolutamente inaceitáveis. a gente vai reconhecendo cada parte do nosso corpo de acordo com essas categorias, e na medida em que essas partes se aproximam do inaceitável, a gente vai odiando nosso próprio corpo. ok, nenhuma novidade pras leitoras. mas o interessante é como isso se articula, não só no íntimo da mulher, mas nas relações que nós tecemos umas com as outras. o fato de estarmos sempre sob olhares que nos comparam com outras mulheres, essas nos fazendo sentir melhores ou piores na medida em que se enquadram mais ou menos nos padrões que nos martirizamos por não atingir, cria um incômodo entre as próprias mulheres. comparamo-nos umas às outras, e nos vemos oprimidas diante de nossas próprias companheiras. o patriarcado é ou não é muito inteligente?! tirando que ele é burro pra caralho (patriarcado burro pra caralho foi um trocadilho acidental, mas interessante, num foi?), ele se articula muito bem quando usa suas artimanhas para criar desintegração entre as mulheres. sim, porque uma mulher ser valorada a partir do corpo da outra causaria, no mínimo, uma competitividadezinha.

e aí uma moça faz uma foto pra marcha das vadias de brasília. uma moça magra, com seios firmes e com marquinha de biquini. eu sei como são os seios dela porque ela está sem camisa e com o sutiã na mão nessa foto. uma belíssima foto, com uma frase tão genial quanto polêmica, dadas as circunstâncias: "sou feminista porque não deixarei de ser quem sou pra me adequar ao que a sociedade espera de mim." na hora em que li/vi a foto, até eu, que gostei do que li/vi, pensei: talvez a sociedade espere por isso. é, porque, vamos combinar, ela não era nenhuma siliconada, oxigenada, sarada, bombada, e tudo quanto "-ada" existir pra definir uma mulher digna da capa da playboy, masss ela ainda era uma menina magra, de seios firmes, e com direito a uma marquinha de biquíni que muitas de nós nunca vai ter pela simples vergonha de usar um biquíni.

talvez a sociedade espere por isso. ENGANO MEU/NOSSO! a sociedade, de-fi-ni-ti-va-men-te, não espera uma mulher que decida livremente mostrar seu corpo. e muito menos que uma mulher use seu corpo nu/semi-nu para protestar ao invés de servir de deleite aos olhos masculinos (tô falando dos cabra-macho-sim-sinhô). aliás, qualquer coisa que a mulher faça com seu corpo para expressar a si mesma, num exercício de genuína autenticidade, incomoda, irrita, provoca ódio. pense no quão idiota é o fato de que mulher de cabeça raspada é um tabu (não se ela estiver fazendo sessões de quimioterapia, porque, nesse caso, ela não estará exercendo sua autonomia, mas simplesmente obedecendo a mais uma necessidade/reação biológica). então eu digo: seios, durinhos ou não, lisos ou cheios de estrias, siliconados ou do tamanho de uma ameixinha, podem, sim, ser extremamente questionadores/contestadores/militantes. todos os seios podem ser os seios das vadias!

coloquemos mais seios a mostra! seios duros, moles, muchibentos, com aureolas pretas, marrons, rosadas, com ou sem piercing, tatuados ou não, um bico pra cada lado, um maior que o outro, cicatrizes no lugar onde ficavam os seios... não importa! nossos seios, vaginas, cus, suvacos, estrias, celulites, cabelos, pêlos, pentelhos, unhas encravadas, pêlos encravados, manchas, cicatrizes, alergias, sardinhas, espinhas, bigodes, barbas, bundas, pés rachados ou macios, nossos corpos são nossos e se é pela nossa liberdade que lutamos são eles que vamos defender! nossos corpos são nossa ferramenta de luta pacífica frente toda a violência de ordem física, psicológica, política, social (...) que sofremos.

mas nos ensinaram a odiar nossa ferramenta de luta pacífica. nos ensinaram a odiar a única coisa que não podem nos tirar. e eu aprendi a lição. aprendi direitinho. e só de raiva, e só de amor, eu quero vá a merda essa lição. eu resolvi que meus peitos, que cresceram muito rápido, e depois mais rápido ainda durante uma gravidez, que foram esticados, que amamentaram, que jorraram leite, que murcharam, e são meus vão falar por mim.


10 comentários:

  1. véi, um blog vai ser pouco pra você! *.*
    só acho que o título deveria ser: "peitões, peitos, peitinhos. duros, molinhos, muchibas, INDÍGENAS" hahaha ♥

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! A respeito da diversidade, um artista plástico inglês mostrou como a xavasca pode ser multifacetada: http://www.greatwallofvagina.co.uk/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. joão victor,

      obrigada por compartilhar esse site! eu já tinha visto uma matéria sobre o trabalho desse artista, mas não conhecia o site. um presente e tanto para qualquer feminista. obrigada de verdade, e se tiver mais alguma coisa que queira compartilhar, fique mais que a vontade, porque coisas assim serão sempre bem vindas.

      :)

      Excluir
  3. Tem um site muito interessante sobre esse mesmo aspecto: http://theshapeofamother.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uau! maravilhoso! obrigada-infinito por compartilhar!

      Excluir
  4. Parabéns pelo Blog! Obrigada por compartilhar seus textos! Muito bom procurar e encontrar ideias próximas da minha! Está nos FAVORITOS! Super abraço e valeu!!!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom, garota!!! e grata por compartilhar idéia tão interessante!

    ResponderExcluir
  6. vc é perfeita garota... e que corpo maravilhoso! to do teu lado!

    ResponderExcluir
  7. vc é perfeita garota... e que corpo maravilhoso! to do teu lado!

    marcopaulo.2012@yahoo.com.br

    ResponderExcluir